sábado, 26 de maio de 2007

minha

quero um amor
de apertar a bochecha
de sorrir com a gengiva
disposto a dividir
um copinho de sorvete

sexta-feira, 25 de maio de 2007

Messalina

insana
demente
insensata
tola
babaca
idota
ignorante
imbecil
débil

panaceia
me livra de mim mesma
das imprudências do meu espírito
tentações por mim geradas
procuro auxílio inacabado
exílio
numa réplica de mim mesma
que não existe
pensamentos estapafúrdios
congregando num personagem que não sou eu
Moral? Pra que isso?
Eu não quero ir pro céu
deve ser muito frio por lá

me paga um chopp
que a gente conversa sobre isso, ok?

quarta-feira, 23 de maio de 2007

sequer até logo





uma placa no chão
teu nome

sentada ali
acima de ti
te senti vivo
próximo a mim
nas minhas lágrimas

no pulsar da minha mente
dos meus olhos
dos meus poros
chorei compulsivamente
meu coração aberto
ferido
estropiaram um pedaço
o mais bonito
onde tu jazias
não pediram licença
nem por favor

Obrigada ao tempo
que me foi dado
admito que cada dia
foi mais que abençoado
cada júbilo
mais que bendito
cada carinho
uma dádiva

minha dor é um botão
ao lado do buraco negro
que deixaste
aos que tanto te conheceram
que muito te amaram
tão mais do que eu
tanto quanto meu corpo tolerou
e imagino

"Como eles conseguem?"