quarta-feira, 23 de maio de 2007

sequer até logo





uma placa no chão
teu nome

sentada ali
acima de ti
te senti vivo
próximo a mim
nas minhas lágrimas

no pulsar da minha mente
dos meus olhos
dos meus poros
chorei compulsivamente
meu coração aberto
ferido
estropiaram um pedaço
o mais bonito
onde tu jazias
não pediram licença
nem por favor

Obrigada ao tempo
que me foi dado
admito que cada dia
foi mais que abençoado
cada júbilo
mais que bendito
cada carinho
uma dádiva

minha dor é um botão
ao lado do buraco negro
que deixaste
aos que tanto te conheceram
que muito te amaram
tão mais do que eu
tanto quanto meu corpo tolerou
e imagino

"Como eles conseguem?"

2 comentários:

Anna Lu disse...

Surpreendente!

Nathalia disse...

Vc é uma dádiva Mariana! E só poderia ter sido presente de alguém muito especial: o NOSSO Rafa!

Obrigada por tudo!