quarta-feira, 11 de julho de 2007

Horas

longas noites
faróis desgovernados
vagam sem destino
aleatoriamente
sem direção
língua que rebola
roçando nos dentes
sacana safada
palpebras repelentes
Morfeu me renega

terça-feira, 10 de julho de 2007

infante

seu cabelo vermelho
o meu, loiro cacheado
sua pirraça
seu jeito errado de falar

pequenas mãos
festa junina
olhares trocados
beijos estalados
pequenos sorrisos
iluminando o carrossel
e a noite acima

imagine

saudades do que não vivi
beijos que não beijei
sorrisos que nunca vi

saudades do afeto nunca trocado
confidências intocadas
do perfume musicado

saudades do colo nunca cedido
problemas nunca enfrentados
brigas nunca perdidas

saudade de chorar
saudade de partir
saudade de ficar
saudade de amar