quarta-feira, 16 de julho de 2008

Soneto de saudade

É meu o meu amor
E o desejo infinito de beijar-te
É minha a minha dor
Por ver-te mas não abraçar-te

É sua a minha essência
E cada parte do meu ser
É minha a minha demência
De te amar e não querer te esquecer

Visito meu íntimo só pra olhar
As doces lembranças de felicidade
E me deparo com meu italiano

Deixo meu corpo fraquejar
As lágrimas sentirem saudade
Do homem que eu amo

Nenhum comentário: