segunda-feira, 6 de outubro de 2008

a busca

entra
sem medo
sem receio
sem preconceito
sem mão no peito
sem mão na bunda
carne desuna

fica a vontade...

pega o sapato
larga o copo
tira uma foto
entra no quarto

tira a roupa
suja de rua
fica nua
e deita

sozinha

encara o teto
pálido companheiro
vira de bruços, de braços
espera as horas
os laços, sem abraços
somente espaços

espero sem fim
meu eu
viver
em mim

Nenhum comentário: