quinta-feira, 10 de setembro de 2009

meu porto















adoraria poder...
acreditar...

mesmo sabendo que tenho capacidade
mesmo ciente da minha habilidade de
me faltam forças

busco quietude, silêncio
enquanto isso
uma banda toca ao meu lado
há obras no andar de cima
tudo é muito loud

minha cabeça dói
muito

fui molhar meus pés
mas o deque se afastou da terra-firme
e me vi flutuando num mar cinza
com pontos coloridos piscantes
um limbo de sentimentos

há momentos, no entanto, que nos levam para outros lugares
cidades belas
cidadãos felizes
passagens de ida
para uma redoma perfeita

receio que minha imperfeição não seja aceita por lá
que as placas indiquem a saída
que eu seja banida
novamente

pr'aquela casa desvigiada e escura
então eu prendo a respiração...
e rezo para que tudo apenas

se vá

Nenhum comentário: